No caso dos cães, brincar vai muito além da simples diversão

Quando se pensa em brinquedos para pets, a maioria das pessoas entende esse assunto como mero entretenimento. Uma solução, por exemplo, para quem passa o dia fora e acaba deixando o seu bicho de estimação muitas horas sozinho. Porém, é bem mais importante do que você pode pensar.

As brincadeiras são mais que necessárias porque ajudam a estimular os instintos próprios do seu pet — evitando, inclusive, que ele tenha certos comportamentos, como roer o que não deve. Para tanto, separamos algumas dicas de diferentes categorias de brinquedos, e, é claro, um cupom Petlove primeira compra.

Com as informações a seguir, você terá mais clareza de quais brinquedos escolher para o seu cachorro, evitando aquele velho problema de acúmulo de objetos que são deixados de lado.

Brincar para estimular o instinto de caça

Um dos pontos-chave para entender a necessidade de brincar com o seu cão é o conceito de sequência comportamental da caça. Para tanto, é preciso lembrar que, antes de se tornarem os nossos melhores amigos, os canídeos viviam soltos e precisavam caçar o próprio alimento para sua sobrevivência.

É nesse sentido que surge a sequência comportamental da caça, uma sucessão de procedimentos que esses animais tinham durante a caçada. Para isso, era necessário farejar, visualizar, perseguir, capturar, matar, devorar e, por último, roer os ossos para limpar os seus dentes.

Milhares de anos se passaram desde que os cães foram domesticados, mas esse instinto de caça permaneceu e, por isso mesmo, é tão importante que tragamos brinquedos e brincadeiras que ajudem no seu bom desenvolvimento — mesmo que você não esteja por perto.

Categorias de brinquedos

Pensando exatamente na sequência comportamental da caça, podemos dividir os brinquedos em quatro tipos principais: os de forragear, os de perseguição, os de destroçar e os de roer. Há ainda brinquedos que incentivam o desenvolvimento cognitivo dos animais.

Brinquedos de forragear

Apesar do nome difícil, forragear é a capacidade que os animais têm de buscar o próprio alimento. No caso dos cães, isso acontece por meio da caçada às suas presas. E é exatamente aí que entram os brinquedos de forragear.

Os mais conhecidos são as bolas recheáveis, onde se colocam petiscos ou ração que são liberados conforme o movimento do próprio cachorro — assim ele precisará investir na caçada para conseguir o que tanto deseja.

Brinquedos de perseguição

Bolinha e frisbee fazem parte do grupo de brinquedos voltados para a etapa da perseguição e são excelentes para ajudar o seu pet a gastar o máximo de energia possível.

A imprevisibilidade da rota do objeto a ser lançado é algo que dá um sabor especial a esse tipo de brincadeira que precisa ser feita em conjunto, entre o pet e o seu dono.

Brinquedos de destroçar

Nada de ficar chateado ao ver o seu cachorro destruindo algum brinquedo — desde que ele seja feito para isso, é claro. Existem pelúcias para cães que têm exatamente essa função, auxiliando o animal a se manter mais entretido em momentos mais solitários.

Bolas maciças também entram nesse grupo feito de brinquedos com o objetivo exclusivo de serem destruídos pelos dentes afiados do seu pet.

Brinquedos para roer

Uma das maiores reclamações dos donos de cães é encontrar seu chinelo ou sapato mastigado. Apesar de ser a última etapa do processo de caça, o ato de roer também está presente e pode ser solucionado com os brinquedos adequados.

Mordedores de látex, por exemplo, são voltados para cães que roem menos, enquanto os mais vorazes precisam de mordedores de nylon, bem como as bolinhas maciças.

Brinquedos para a cognição

Por último, temos os brinquedos considerados interativos ou cognitivos, já que exigem um certo pensamento lógico para que o pet consiga ter acesso ao seu alimento. Existem modelos de quebra-cabeça e até mesmo jogos de tabuleiro com essa pegada, um verdadeiro estímulo cognitivo para os cães.